Juventus entrou com uma Medida Cautelar de Protesto na FPF

Futebol 

O departamento Jurídico do Clube Atlético Juventus através o advogado Wilson Marequeti Júnior entrou última sexta-feira, dia 12 de março, com uma ação na Federação Paulista de Futebol. Trata-se de uma medida cautelar de protesto em razão dos prejuízos que o Juventus sofreu ao longo do Campeonato Paulista, Série A-1.

Entre os pontos que estão sendo acentuados destacam-se o mando de quatro partidas ao invés de cinco como tiveram outras equipes. E para a elaboração da tabela NÃO houve sorteio. O critério foi estabelecido pela Federação Paulista de Futebol. Não houve sorteio nem para decidir quem ficaria com quatro ou cinco mandos como ocorreu na confecção dos grupos. Assim sendo neste Campeonato Paulista o Juventus mandou apenas três jogos em seu campo. Desses três venceu dois confrontos. Outro ponto que está sendo destacado é o erro gritante do árbitro Robério Pereira Pires que marcou um pênalti inexistente no jogo contra o Corinthians e ainda, na mesma jogada, expulsou o jogador Itabuna do Juventus.

O técnico Roberto Brida reclamou dessa marcação e foi citado pelo árbitro em seu relatório. Na última segunda-feira, dia 8 de março, houve o julgamento do treinador Brida e do atleta Itabuna e ambos foram absolvidos. Assim sendo o Tribunal de Justiça Desportivo reconheceu, indiretamente, que o árbitro errou. Ao entrar com essa medida cautelar de protesto o Juventus não se cala e demonstra todo o seu descontentamento com os últimos acontecimentos que o estão prejudicando no Campeonato Paulista, Série A-1. A infelicidade do Juventus foi ficar como opção ao lado do Corinthians, como aconteceu num passado recente com a Ponte Preta e a Portuguesa de Desportos.